Baterista Paulo Antônio Pagni do RPM não morreu.

  • 03/06/2019
  • 0 Comentário(s)

Baterista Paulo Antônio Pagni do RPM não morreu.

Rio - Fernando Deluqui, vocalista e guitarrista do RPM, divulgou um vídeo no início da noite deste domingo chamando de uma "tremenda confusão" a divulgação, mais cedo, por parte da banda, da morte do baterista Paulo Antônio Pagni. 


Deluqui conta que recebeu uma ligação da clínica São Camilo, de Salto, onde o amigo está internado, dizendo que ele havia morrido. O músico ligou para o médico que acompanha Paulo Antônio, que confirmou a informação. Ele então passou na casa de P.A., pegou alguns documentos e, quando chegou ao hospital, "para alívio", descobriu que o amigo estava vivo. O músico, de 61 anos, luta contra fibrose pulmonar.
"Agora a gente está querendo saber o que aconteceu, que engano foi esse. Estamos esperando o Dr. Alex Muller Coutinho e o Hospital São Camilo entrarem em contato para explicar o que aconteceu. Enquanto isso, o Paulo continua na UTI em estado gravíssimo. Quem puder, faça orações por ele", disse Deluqui.

A notícia da morte foi divulgada pela assessoria da banda, por meio de uma publicação na página oficial do RPM nas redes sociais.

Na nota, a banda pedia compreensão no momento de dor e boas vibrações. "Infelizmente temos a tristeza de anunciar o falecimento do nosso querido e eterno baterista, Paulo Antônio Figueiredo Pagni, o P.A. Nosso irmão partiu poucos momentos atrás, mas seu legado será eternamente lembrado."

No sábado, o ex- vocalista da banda Paulo Ricardo publicou uma foto com o baterista em seu perfil no Instagram com informações sobre a doença. "Ocorre quando o tecido pulmonar é danificado e forma cicatrizes, endurecendo e prejudicando a elasticidade e troca gasosa", dizia. No início da tarde deste domingo, a publicação foi deletada da rede social do cantor. O DIA procurou a assessoria da clínica São Camilo mas, até a publicação desta reportagem, não obteve retorno. O espaço está aberto para manifestação.

A banda

Sucesso na década de 1980, o RPM se separou várias vezes nos últimos anos. Após uma série de brigas e discussões, no ano passado a banda anunciou que iria voltar a compor sem a participação de Paulo Ricardo nos vocais, uma atitude decidida após disputa judicial.

No mais recente anúncio, a banda disse que sairia em turnê com nova composição: Dioy Pallon (voz e baixo), Fernando Deluqui (voz e guitarra), P.A. na bateria e o tecladista Luiz Schiavon, fundadores da banda.
Fonte: Jornal O Dia

0 Comentários


Deixe seu comentário


Aplicativos


Locutor no Ar

Ricardo França

Almoço Musical

12:00 - 13:00

Peça Sua Música

Nome:
E-mail:
Seu Pedido:


Anunciantes